Notícias

12-Fev-2020 18:22
INSS

Trabalhadores protestam contra o desmonte do INSS nesta sexta-feira, 14

Para o presidente do Sindicato Paulo Estausia, o governo Bolsonaro é criminoso e quer acabar com toda a estrutura de atendimento ao trabalhador

2020, imprensa,
2020

Mais de 2 milhões de brasileiros estão na fila do INSS aguardando análise de pedidos de benefícios, ou seja, mais de 2 bilhões de trabalhadores estão passando necessidades porque não conseguem se aposentar ou receber o auxílio doença e acidente, por exemplo. O caos no INSS retornou por culpa do sucateamento provocado pelo governo de direita de Michel Temer e aprofundado pelo atual governo de extrema-direita de Jair Bolsonaro, que não investe um centavo do dinheiro público para melhorar os equipamentos e contratar mais servidor público para atender a população nos postos de INSS.

Para protestar contra a destruição desse importante serviço público, que é essencial para a vida do trabalhador, as centrais sindicais convocaram manifestação em todo o país para a manhã da próxima sexta-feira, 14.

Em Sorocaba, a concentração para o ato será às 8h, na sede do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região. Os trabalhadores irão seguir até as agências do INSS da cidade.

Em Itapeva, o ato irá acontecer às 9h, em frente ao INSS que fica na rua Teófilo David Müzel, 186, na Vila Ophelia.

“O INSS é uma conquista dos trabalhadores. É o serviço público que atende os trabalhadores quando eles mais precisam, na doença com os auxílios doença e acidente de trabalho, na maternidade com a licença maternidade, na velhice com a aposentadoria, na viuvez com a pensão por morte. Todos períodos em que o trabalhador fica sem condições físicas e psíquicas de exercer o trabalho. O sucateamento do INSS é um ato criminoso provocado por esse governo de Jair Bolsonaro! Um governo irresponsável, que está a serviço dos estrangeiros e dos ricos, e que só prejudica o trabalhador”, afirma Paulo João Estausia, presidente do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região.

Paulinho completa alertando, “sabemos onde essa história irá parar. O que Bolsonaro e seu ministro Guedes querem é privatizar o INSS. Já prejudicaram o trabalhador com a ‘reforma’ da Previdência, que dificultou o acesso aos direitos e diminuiu o valor recebido (aposentadoria, pensão, auxílio). Mas eles não conseguiram privatizar por meio da capitalização, agora tentam outro caminho.”

Desemprego x privilégios

A resposta do governo Bolsonaro ao caos no INSS é privilegiar seus “amigos” militares e, dessa forma, mais uma vez prejudicar a população. O INSS está precisando de mais trabalhadores para dar conta do serviço, pois muitos servidores públicos se aposentaram e os últimos governos não fizeram concurso público.

Ao invés de abrir concurso público para que a população desempregada possa ter um emprego formal e decente, Bolsonaro irá convocar militares da reserva, ou seja, militares que já estão aposentados, que já recebem um salário bem alto. Enquanto isso, o desemprego só aumenta no país e nada é feito para mudar essa realidade.

Para os sindicatos, só a abertura de concurso público e investimentos em tecnologia e estrutura podem melhorar o atendimento e acabar de vez com as filas no INSS, que deixaram de existir nos governos do PT, pois os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff investiram no servidor público e nos serviços públicos de qualidade para atender à população.

 

Fabiana Caramez
Deixe seu Recado