Notícias

09-Jul-2020 15:00
SÃO ROQUE

Trabalhadores no transporte urbano de São Roque dão ultimato: se Mirage atrasar de novo, terá greve

Categoria irá aguardar até segunda-feira (13) pelo pagamento do tíquete atrasado

2020, imprensa,
2020

Em assembleia realizada pelo Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região, na manhã desta quinta-feira (09), no terminal de ônibus de São Roque, os trabalhadores e trabalhadoras em transporte urbano da cidade decidiram que não irão aceitar novos atrasos nos pagamentos de salário e direitos por parte da empresa Mirage Transportes. Se isso ocorrer, os trabalhadores(as) irão entrar em greve imediatamente e só retornarão à operação quando os pagamentos forem regularizados.

Neste mês de julho, a empresa Mirage não pagou o tíquete-refeição e, na assembleia, os trabalhadores(as) decidiram aguardar até segunda-feira (13) pela regularização do pagamento. Caso a empresa não resolva o problema, a categoria pode dar início à greve.

“A Mirage vem atrasando constantemente o pagamento de salário e demais direitos. A categoria não aguenta mais, especialmente porque a maioria está com redução salarial devido à pandemia do coronavírus e o atraso complica ainda mais a vido do trabalhador(a)”, explica o presidente interino do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região, Adalberto de Souza Carvalho, Dadá.

A frota de ônibus em operação no município de São Roque está reduzida por determinação do poder público e, desde junho, a empresa Mirage aderiu à Medida Provisória 936/2020, colocando 69 trabalhadores(as) em suspensão de contrato de salário e 2 trabalhadores(as) em redução de jornada e salarial. Apenas 17 trabalhadores(as) continuam com jornada integral de trabalho.

Para minimizar a perda salarial por causa da adesão à MP 936, o Sindicato dos Rodoviários garantiu o pagamento do tíquete-refeição a todos os trabalhadores(as) e um benefício a mais de R$ 300,00 para os que irão continuar em operação e, consequentemente, mais expostos ao risco de contaminação.

O Sindicato também garantiu que a empresa continue a pagar cesta básica e plano de saúde familiar a todos os trabalhadores(as).

 

Fabiana Caramez
Deixe seu Recado