Notícias

09-Nov-2020 16:33
ITAPETININGA

Trabalhadores na empresa de ônibus Nossa Senhora Aparecida podem entrar em greve na quinta (12)

Categoria deu prazo maior para empresa resolver os problemas

2020, imprensa, Diretoria
Assembleia realizada na sexta-feira, 06 de novembroDiretoria

Os trabalhadores e trabalhadoras na empresa de ônibus Nossa Senhora Aparecida podem entrar em greve na próxima quinta-feira (11) caso a empresa não resolva os problemas de excesso de jornada de trabalho e falta de pagamento de férias, tíquete-refeição, cesta básica e FGTS (Fundos de Garantia do Tempo de Serviço), além de manter prática de perseguição a trabalhador.

A Nossa Senhora Aparecida opera os transportes urbano, escolar e de fretamento no município de Itapetininga e o Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região protocolou notificação de greve na empresa no dia 04 de novembro, conforme determina a lei de greve em serviços essenciais.

Além do prazo legal de 72 horas da notificação para o início da greve, os trabalhadores deram mais um tempo para a empresa resolver os problemas. Uma reunião entre Sindicato dos Rodoviários e empresa está agendada para a quarta-feira (11).

Em assembleia realizada no dia 06, os trabalhadores decidiram aguardar o desfecho dessa reunião para, se não tiver êxito, iniciar a paralisação na quinta-feira (12).

Problemas

A Nossa Senhora Aparecida colocou todos os trabalhadores, cerca de 130, em acordo de redução de jornada e de salário na porcentagem de 70%, conforme a Lei 14.020, 06 de julho de 2020 (Medida Provisória 936), desde o mês de abril, logo após o início da pandemia no Brasil.

Porém, a empresa não está respeitando a jornada reduzida de trabalho (no caso, 30% da jornada inteira) e vem obrigando muitos funcionários a trabalharem por um período maior, desrespeitando o acordo da MP e não pagando pelas horas trabalhas a mais.

Além disso, o Sindicato dos Rodoviários levantou junto à categoria que existem diversos trabalhadores com mais de duas férias vencidas e que a empresa voltou a não recolher corretamente o FGTS.

“Nós esperamos resolver esses problemas sem a necessidade de greve. Mas pelo quadro dado, pedimos aos trabalhadores e trabalhadoras que fiquem preparados para iniciar a paralisação e manter a luta até fazer a empresa respeitar a lei”, afirma o presidente interino do Sindicato dos Rodoviários Adalberto de Souza Carvalho, Dadá.

 

Fabiana Caramez
Deixe seu Recado