Notícias

12-Set-2018 12:43 - Atualizado em 13/09/2018 14:09
DATA-BASE 2018

Sindicato garante preservação de direitos e aumento salarial aos trabalhadores na Translecchi

A campanha salarial no setor de cargas ainda está em andamento, com a "reforma" trabalhista os empresários querem retirar direitos

2018, imprensa, Divulgação
Trabalhadores em assembleia no dia 11 de setembroDivulgação

Os trabalhadores na transportadora Translecchi, que faz a distribuição de bebidas da Ambev, aprovaram em assembleia realizada na manhã desta terça-feira, 11, a proposta de aumento salarial de 2,5% retroativo a 1º de maio, data-base da categoria, e manutenção de todos os direitos constantes no acordo coletivo de trabalho anterior. A proposta aprovada foi garantida pelo Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região na mesa de negociação com a empresa.

Os trabalhadores no setor de cargas ainda estão sem reajuste salarial porque as empresas do setor de cargas, organizadas no sindicato patronal SETCARSO, fortalecidas com a "reforma" trabalhista, estão tentando retirar direitos, como o não pagamento de horas-extras com a implantação do banco de horas de seis meses e sem limites e a contratação por contrato intermitente, uma forma precária de contratação que deixa o trabalhador sem salário mensal, pois só receberá as horas que a empresa chamar, se ela chamar para trabalhar.

"O fechamento do acordo coletivo para os trabalhadores na Translecchi foi uma grande vitória, pois o acordo coletivo garante a manutenção de todos os direitos conquistados em anos passados", festeja o diretor do Sindicato Fabrício Rodrigues.

Segundo o diretor Fabrício, o Sindicato levantou alguns problemas e irá agendar reunião com a empresa. "Constatamos diversos problemas que prejudicam o dia a dia do trabalhador. Nós já estamos em contato com a empresa para resolver essas questões o mais rápido possível."

 

Confira os ganhos desta campanha salarial dos trabalhadores na transportadora Translecchi:

2,5% de aumento salarial

Aumento salarial de 2,5% retroativo a 1º de maio para todas as funções - motoristas, auxiliares de transporte, mecânicos e funções de apoio. A diferença salarial de maio, junho, julho e agosto será paga juntamente com o salário de setembro, no 5º dia útil de outubro. Com o reajuste, o salário do motorista subiu para R$ 1.902,87 e o do auxiliar de transporte para R$ 1.325,55.

 

Reajuste no tíquete-refeição

O tíquete-refeição aumentou de R$ 750,00 para R$ 780,00 por mês e também será reajustado retroativo a 1º de maio. A diferença é para vir no próximo mês. Está mantido o direito de receber o tíquete-refeição nas férias.

 

PLR sobre para R$ 1.450,00

A participação nos lucros e resultados foi reajustada para R$ 1.450,00 e será paga em duas vezes. A primeira parcela de R$ 725,00 em setembro deste ano e a segunda parcela de R$ 725,00 em março de 2019.

 

Homologação no Sindicato

Um grande ganho nesta campanha salarial foi a manutenção da obrigatoriedade da empresa fazer a homologação da rescisão do contrato de trabalho no Sindicato, nesse caso para quem tem mais de 12 meses de trabalho na empresa. A "reforma" trabalhista retirou essa obrigatoriedade, que agora precisa ser garantida em acordo coletivo. A homologação é feita quando o trabalhador é demitido e muitas empresas têm a prática de pagar a menos do que o trabalhador tem direito. Por isso a importância da homologação ser conferida pelo Sindicato, para garantir que o trabalhador receba exatamente o que tem direito.

 

Manutenção de todos os demais direitos:

- plano de saúde familiar (baixíssimo custo para o trabalhador)

- plano odontológico familiar (baixíssimo custo para o trabalhador)

- vacina contra gripe

- seguro de vida (gratuita para o trabalhador e a preço de custo para os dependentes, sendo pago em duas vezes pelo trabalhador)

- auxílio ao filho excepcional (pagamento de meio salário mínimo)

- PTS (prêmio por tempo de serviço):

                - de 2 a 5 anos de serviço = 5% do piso salarial

                - de 5 a 7 anos de serviço = 8% do piso salarial

                - de 7 anos de serviço em diante = 12% do piso salarial

- cesta natalina (entregue até 20 de dezembro)

- cesta básica: 5 quilos de feijão carioca; 2 pacotes de macarrão de meio quilo; 5 quilos de açúcar refinado; 4 latas de óleo de soja de 900 ml; 10 quilos de arroz tipo 1; 200 gramas de bolacha salgada; 1 pacote de bolacha; 1 quilo de pó de café; 2 latas de extrato de tomate de 140 gramas; 1 quilo de farinha de trigo; 1 lata de sardinha de135 gramas; 1lata de goiabada; 1pacote de tempero pronto de 300 gramas; 1/2 quilo de farinha de mandioca; 1 quilo de sal; 400 gramas de leite em pó; 400 gramas de achocolatado; 1/2 quilo de farinha de milho; 1/2 quilo de fubá.

Fabiana Caramez
Deixe seu Recado