Notícias

28-Mai-2019 12:48
EDUCAÇÃO

Rodoviários estão convocados a participarem dos atos em defesa da educação no dia 30

Os cortes de verbas anunciados pelo governo Bolsonaro atingem da creche à pesquisa científica

2019, imprensa,
2019

O Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região orienta todos os trabalhadores e trabalhadoras em transportes a participarem das manifestações no dia 30 de maio contra os cortes de verbas na educação pública anunciadas pelo ministro da Educação Abraham Weintraub, do governo Jair Bolsonaro (PSL). Segundo o site do Ministério da Educação, foram contingenciados R$ 5,8 bilhões por meio do decreto nº. 9.741, de 29 de março deste ano. 

Em Sorocaba, o ato em defesa da educação irá acontecer a partir das 13h, com concentração na praça Coronel Fernando Prestes, no centro da cidade.

Os cortes de verbas anunciados pelo governo atingem não apenas o ensino superior, as pesquisas científicas e os institutos federais de ensino, mas toda a educação básica, ou seja, as creches e as escolas de ensino fundamental e médio. Nesse último caso irá faltar dinheiro para a construção de novas creches, a aquisição de livros didáticos e o transporte escolar.

Nas universidades federais, os cortes chegam a mais de R$ 2 bilhões e ameaçam 398 mil vagas e 5 mil cursos. Segundo estudo feito pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil (Andifes), o governo bloqueou R$ 2,8 bilhões de verba discricionária e cortou R$ 46,37 milhões de emendas parlamentares. Na prática, as universidades terão cortes que variam de 15,82% dos recursos discricionários, como ocorreu na Universidade Federal de Juiz de Fora, a 53,96%, como na Universidade Federal do Sul da Bahia.

A verba discricionária ou recursos discricionários é o dinheiro que as universidades têm para pagar as contas de luz, de água, as bolsas acadêmicas, os insumos de pesquisa, comprar equipamentos básicos para laboratórios e pagar os funcionários terceirizados.

“O governo de Bolsonaro alega que não tem dinheiro para a educação e culpa os governos do PT por isso. Grande mentira! Os governos do PT definiram que o dinheiro do pré-sal seria usado na educação e na saúde, acontece que a primeira coisa que os políticos fizeram após derrubarem a presidenta da Dilma Rousseff foi acabar com o modelo de partilha na extração do pré-sal e iniciar a privatização dos campos de petróleo, dessa forma, acabaram com o grosso do dinheiro que entrava para o Fundo Social do Pré-Sal. A culpa é do próprio Bolsonaro que votou pela derrubada da Dilma, pela entrega do pré-sal a empresas estrangeiras e por não cobrar impostos dessas mesmas empresas”, explica o presidente do Sindicato dos Rodoviários Paulo João Estausia, Paulinho.

As manifestações no dia 30 de maio irão acontecer em todo o Brasil e estão sendo convocadas pelas entidades que representam professores, trabalhadores da educação, alunos, pais de alunos e cientistas brasileiros.

Fabiana Caramez
Deixe seu Recado