Notícias

25-Ago-2021 16:37
FALTA DE COMIDA NA MESA

Dispara a pobreza no Brasil

Aumento da pobreza acontece em meio à pandemia e à política econômica de Jair Bolsonaro

Os brasileiros viviam grandes dificuldades antes da pandemia, quando já estava valendo a política econômica do banqueiro Paulo Guedes, ministro da Economia de Jair Bolsonaro.

A constatação atualizada é que o aumento da pobreza no País por causa da pandemia se deu de forma geral entre os Estados e em ritmo mais intenso nos Estados do Nordeste e nos Estados com grandes centros urbanos, como São Paulo e Rio.

Exemplos: em São Paulo a parcela da população pobre subiu de 13,8% em 2019 para 19,7% em 2021; no Rio, passou de 16,9% para 23,8%, mais de um quinto da população.

E a tendência daqui para a frente é que a pobreza e a pobreza extrema no Brasil permaneçam em níveis mais altos do que antes da pandemia.

Esta notícia é importante para os trabalhadores entenderem a que ponto a política econômica de Jair Bolsonaro conduziu o País em tempos de pandemia.

O balanço foi publicado nesta quarta-feira (25) em manchete do jornal “Valor Econômico”. O Estudo foi apresentado pelo economista Daniel Duque, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre).

O estudo mostra que o porcentual da população pobre aumentou em 24 dos 27 Estados brasileiros. Os cálculos foram baseados em dados do próprio governo obtidos em fontes oficiais como o Pnad Contínua, Pnad Covid 19 e IBGE.

E os apoiadores do governo não podem acusar esse balanço de “comunista”, pois o jornal “Valor Econômico” e a FGV são referências nos mercados empresariais e financistas, tradicionalmente conservadores, e em seus editoriais divergem das correntes populares e progressistas do País.

Isto significa que até mesmo os órgãos de perfil conservador já destacam em manchetes o aumento da pobreza entre grande parte dos brasileiros. Os dados coincidem com o triste registro de volta do Brasil ao mapa da fome mundial após o golpe que derrubou Dilma Rousseff em 2016.

Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Sorocaba e Região
Deixe seu Recado