Notícias

06-Jun-2019 19:02
BRASÍLIA

Deputados criam Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Trabalhadores em Transportes

Paulinho representou a CNTTL na audiência de lançamento da Frente Parlamentar

2019, imprensa, Divulgação
Aprovação da criação da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Trabalhadores em TransportesDivulgação

Os deputados federais lançaram no último dia 5 de junho a Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Trabalhadores em Transportes, com o objetivo de discutir amplamente proposituras de interesses dos trabalhadores em transportes, em especial, fortalecer o sistema, contemplando todos os modais e debater diretrizes a fim de obter respostas para quem usa e para os que trabalham neste setor. Segundo levantamento, o ramo do transporte é responsável por cinco milhões de empregos assalariados, autônomos e informais, entre motoristas e setores de apoio, que trabalham no transporte aéreo, marítimo, rodoviário e metroviário, de carga e de passageiros, urbano e rural.

O ato de lançamento da Frente aconteceu no auditório Nereu Ramos, da Câmara dos Deputados, em Brasília e contou com a participação de centenas de dirigentes sindicais e trabalhadores do ramo. A Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Trabalhadores em Transportes será coordenada pelo deputado Valdevan Noventa (PSC-SE), que é presidente licenciado do Sindicato dos Motoristas de São Paulo. Mais de 1/3 dos deputados federais assinaram o requerimento para registro da Frente, o que mostra a importância do tema.

O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística (CNTTL) e do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região Paulo João Estausia esteve presente no lançamento da Frente e ressaltou a importância da iniciativa para a efetivação de leis que tragam melhorias às condições de trabalho da categoria.

“Daqui para frente os trabalhadores em transportes não mais estarão desamparados neste Congresso Nacional. Reafirmo que a CNTTL está sempre à disposição para trabalhar em conjunto em prol dos trabalhadores de todo o Brasil”, falou o presidente da CNTTL Paulinho no ato de lançamento da Frente.

2019, imprensa, Divulgação
Paulinho discursa no lançamento da Frente Parlamentar MistaDivulgação

Os participantes da Frente marcaram posição contrária à reforma da Previdência proposta pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL) e os dirigentes sindicais presentes reafirmaram a participação do ramo do transporte na GREVE GERAL de 14 de junho.

Sobre a reforma da Previdência, Paulinho falou da responsabilidade do ramo na greve geral. “Acho que todos aqui têm consciência de que esse ministro Paulo Guedes é um corretor da pior espécie. Aquele que pega os patrimônios brasileiros e vende praticamente de graça aos capitalistas internacionais. Todo mundo aqui tem a responsabilidade de organizar a base e parar no dia 14 de junho contra a reforma da Previdência que irá acabar com a aposentadoria do trabalhador.”

CNTTL

Entre as principais bandeiras de luta da CNTTL destaca-se o Projeto de Lei 2163/2003, do deputado federal Vicente Paulo da Silva (PT/SP), Vicentinho, que proíbe a dupla função do motorista nos ônibus e exige a obrigatoriedade de ter um segundo trabalhador no interior dos ônibus nos setores urbanos e suburbanos.

A dupla-função é uma realidade nefasta adotada no transporte urbano e suburbano de passageiros e que vem crescendo com o avanço tecnológico, com a implantação da bilhetagem eletrônica. Os sindicatos dos rodoviários filiados à CNTTL promovem intensas lutas para barrar a dupla função e manter o posto de trabalho do cobrador ou agente de bordo.

"É fundamental ter um segundo trabalhador no ônibus para auxiliar os passageiros durante a viagem do coletivo. O motorista tem que prestar atenção no trânsito, não pode ficar dando troco e cuidando dos problemas que ocorrem no interior do veículo. Hoje nossa legislação proíbe fazer outra função com veículo em movimento, portanto, dirigir e cobrar ao mesmo tempo é inviável, inseguro ao passageiro e contraria o disposto no Código de Trânsito Brasileiro.  Além de precarizar o trabalho, os impactos da dupla função na saúde do profissional motorista são preocupantes", conta o presidente da CNTTL Paulinho.

Fabiana Caramez, com informações da UGT e CNTTL
Deixe seu Recado