Notícias

21-Nov-2018 12:39 - Atualizado em 21/11/2018 17:24
DATA-BASE 2018

Após meses de queda de braço, Sindicato garante a assinatura da convenção coletiva de trabalho para o setor de cargas

CONQUISTA DESTA CAMPANHA SALARIAL: além do resajuste salarial de 2,5%, os motoristas de bitrem, tritem, rodotrem, julieta, treminhão, betoneira, guindaste e munk terão aumento de 6% nos salários

2018, imprensa,
2018

Os trabalhadores no setor de cargas estão novamente protegidos pela convenção coletiva de trabalho que foi assinada no final de outubro e assegura reajuste nos salários conforme a inflação do período, implanta remuneração diferenciada para carros mais pesados e, com algumas modificações, manutenção dos direitos que já tinham sido conquistados em anos anteriores.

A convenção coletiva de trabalho está disponibilizada na íntegra no site do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região - www.rodoviariosorocaba.org.br/direitos-categoria/cargas.

Convenção Coletiva de Cargas é válida para trabalhadores em empresas de cargas, em concreteiras e para quem trabalha com transporte em empresas diversas do setor diferenciado.

Por que demorou tanto para fechar a convenção neste ano?!

Porque os empresários, organizados no sindicato patronal do setor de cargas (Setcarso), queriam aplicar na íntegra a perversa "reforma" trabalhista, retirando importantes direitos dos trabalhadores, como o plano de saúde familiar e a PLR. Eles alegavam que com a "reforma" e o novo entendimento da Justiça os direitos conquistados nas convenções anteriores não tinham mais que ser mantidos, que tudo podia ser retirado.

O Sindicato dos Rodoviários não aceitou, "botou o pé" e, só após intensas e difíceis rodadas de negociação, se chegou a um acordo que não prejudica demasiadamente o trabalhador.

Organização da categoria é essencial para impedir perdas

Os trabalhadores no setor de cargas precisam se conscientizar da importância de estarem organizados para fazer a luta contra a retirada de direitos. O momento está mais difícil para os trabalhadores e se agravou ainda mais após o resultado das eleições gerais. Sem organização e união de todos ocorrerão perdas. Os empresários não queriam assinar a convenção coletiva, porque têm como objetivo forçar o trabalhador a negociar seu aumento salarial e direitos individualmente. O que fragiliza ainda mais os trabalhadores, que ficarão à mercê das chantagens patronais e serão obrigados a aceitar emprego com menor salário e menos ou nenhum direito.

Confira abaixo os seus direitos. Fique de olho e denuncie caso a empresa não cumpra corretamente!

 

Aumento salarial de 2,5% retroativo a 1º de maio de 2018

CONFIRA O PISO MÍNIMO POR FUNÇÃO:

MOTORISTA DE CARRETA = R$ 1.988,10

MOTORISTA = R$ 1.773,94

PISO MÍNIMO = R$ 1.108,38

 

CONQUISTA DESTA DATA-BASE! Mais 6% de aumento (além dos 2,5%) para motoristas de bitrem, tritem, rodotrem, julieta, treminhão, betoneira, guindaste e munk

MOTORISTA DE BITREM, TRITEM, RODOTREM, JULIETA E TREMINHÃO = R$ 2.107,39

MOTORISTA DE BETONEIRA, GUINDASTE E MUNK = R$ 1.880,38

 

MUDANÇA!

PLANO DE SAÚDE FAMILIAR

Trabalhador que PAGA a contribuição negocial irá pagar apenas 20% do valor do plano de saúde.

Trabalhador que NÃO paga a contribuição negocial irá pagar 40% do valor do plano de saúde.

(sendo que metade dos 40% será direcionado ao fundo de saúde do trabalhador).

 

MUDANÇA!

PLR (PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS)

R$ 1.200,00

Pagamento em duas vezes, R$ 600,00 em outubro/2018 e R$ 600,00 em abril/2019

ATENÇÃO! Trabalhador NÃO sindicalizado terá descontado R$ 50,00 de cada parcela.

 

DIÁRIA - aumento a partir de 1º de outubro

Almoço/Jantar = R$ 24,09/dia

(o jantar será fornecido além do valor do almoço sempre que a jornada ultrapassar às 19h)

Pernoite = R$ 32,29

 

CESTA BÁSICA  - Com 16 itens de qualidade

 

SEGURO DE VIDA - Trabalhador pago R$ 18,95 por mês

 

PRÊMIO POR TEMPO DE SERVIÇO - PTS

Mais 5% de aumento no salário de quem tem dois anos ou mais na mesma empresa

 

 

 

 

Fabiana Caramez
Deixe seu Recado