Notícias

31-Ago-2018 14:50 - Atualizado em 31/08/2018 15:01
HISTÓRIA

Após dois anos do golpe jurídico-político-midiátio, a vida do brasileiro está muito pior

Neste 31 de agosto de 2018, confira alguns dos acontecimentos que levaram o país ao buraco

2018, imprensa,
2018

Desemprego recorde, perda de direitos, corte nos investimentos e perseguições políticas. Desde 31 de agosto de 2016, quando o Senado chancelou a saída da presidenta eleita Dilma Rousseff da Presidência, os brasileiros têm assistido, quase que diariamente, aos desmontes de importantes políticas públicas construídas nos últimos anos. Confirmando o que os movimentos sociais, sindical e partidos de esquerda já diziam: o golpe é contra a classe trabalhadora!

Ao longo desse período, o ilegítimo Michel Temer (MDB) e sua base aliada no Congresso Nacional seguiram destruindo conquistas dos trabalhadores em todas as áreas - educação (reduziram o Prouni, o Fies e as verbas para as universidades e as escolas técnicas federais), saúde (acabaram com o Mais Médicos e reduziram os investimentos), assistência social (diminuíram consideravelmente o Bolsa Família e programas como o Luz Para Todos) -, retiraram direitos trabalhistas e permitiram a terceirização sem limites, ou seja, privilegiaram  pequenos setores da classe empresarial, jurídica, da mídia e, claro, do capital estrangeiro.

Nesse período, também foi fortalecido o discurso de criminalização dos movimentos dos trabalhadores, na tentativa de enfraquecê-los. Mas houve luta e foi possível acompanhar, nesse período, grandes mobilizações, como a maior Greve Geral da história do país, em 28 de abril de 2017, que impediu que a reforma da Previdência –ainda uma ameaça –fosse votada.

Neste 31 de agosto de 2018, dois anos após o golpe que encerrou mais um período de democracia no Brasil, a CUT-SP fez um levantamento de alguns dos acontecimentos negativos à população.Confira a seguir:

 

30 de novembro de 2016
Após repressão e agressões nas ruas, Senado aprova PEC 55 em primeiro turno

Ela foi aprovada no dia 29 de novembro de 2016, em primeiro turno, pelo Senado. Naquela tarde, as forças policiais haviam reprimido com violência as manifestações em Brasília contra a votação da chamada PEC da Morte ou do Fim do Mundo, como ficou conhecida. Cavalaria, bombas de gás lacrimogênio, cassetetes, helicópteros à espreita, porrada. A PEC 55 pretende congelar investimentos sociais públicos até 2036, atrelando-os apenas aos índices da inflação.

Saiba mais: http://bit.ly/pec55aprovada

 

22 de março de 2017
PL 4302 que terceiriza todas as atividades das empresas é aprovado pela maioria da Câmara dos Deputados
Apoiando-se numa maioria de deputados golpistas e corruptos, atendendo à pressão de empresários que querem flexibilizar direitos e precarizar as relações de trabalho para aumentar os seus lucros, como Paulo Skaf da Fiesp e seu infame “pato”, a Câmara dos Deputados comete mais um golpe contra os direitos da classe. 
Saiba mais: http://bit.ly/notacontraterceirizacao
 

12 de julho de 2017 
Senado aprova o projeto de reforma trabalhista, sem alterações
O plenário do Senado aprovou o projeto de lei (PLC 38) de "reforma" da legislação trabalhista. Foram 50 votos a favor e 26 contrários, com uma abstenção. A votação foi concluída por volta das 19h50, depois de mais de seis horas de sessão suspensa, devido a uma ocupação organizada por um grupo de senadoras da oposição. Conforme queria o governo, o texto foi aprovado sem mudanças.
Saiba mais: http://bit.ly/segueogolpe

 

25 de outubro de 2017
Câmara salva Temer, Padilha e Moreira de denúncia no STF
A Câmara dos Deputados rejeitou a denúncia contra o presidente golpista Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) pelos crimes de formação de quadrilha e organização criminosa. O resultado, que blindou Temer de ser alvo de um processo por parte do Supremo Tribunal Federal (STF) e afastado do cargo, foi vitorioso para o governo, mas demonstrou fragilidade do Executivo para a votação de matérias de seu interesse, como as reformas e privatizações.
Saiba mais: http://bit.ly/CamarasalvaTEMER
 

27 de outubro de 2017
Temer entrega Pré-Sal e futuro do país para estrangeiros
Governo derruba liminar, realiza leilão e consuma mais um ato de entrega do Pré-Sal brasileiro para multinacionais estrangeiras. Com duas horas de atraso, o leilão foi realizado e o total arrecadado – R$ 6,15 bilhões – foi abaixo até dos R$ 7,75 bilhões que o próprio governo golpista, entreguista e ilegítimo de Michel Temer (MDB) previa.
Saiba mais: http://bit.ly/TemerPre-Sal
 

27 de abril de 2018
Desemprego bate mais um recorde negativo e atinge 13,7 milhões de pessoas
O índice de desemprego aumentou para 13,1% no primeiro trimestre encerrado em março deste ano. É a maior taxa desde maio do ano passado. O total de desempregados no país pulou para 13,7 milhões de trabalhadores e trabalhadoras.
Saiba mais: http://bit.ly/2vNlPfk
 

22 de maio de 2018
Caminhoneiros mantêm Brasil paralisado
Após ter reajustado os preços da gasolina e do diesel quatro vezes consecutivas, a gestão golpista da Petrobrás anunciou um novo aumento dos preços dos derivados nas refinarias. Os valores subiram quase 1% colocando mais combustível na greve dos caminhoneiros, que protestaram em todo o país contra os altos preços do diesel, que em maio aumentou 12,3%.
Saiba mais: http://bit.ly/2KLgM1v
 

24 de julho de 2018
Gás de cozinha e combustíveis aumentaram três vezes mais do que a inflação
O governo golpista e ilegítimo de Michel Temer (MDB-SP) tem realizado constantes reajustes nos preços dos combustíveis e no gás de cozinha que impactam diretamente no bolso de todos os brasileiros e brasileiras. Segundo o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a inflação de junho de 2016 a junho de 2018 chegou a 8%. No entanto, o gás de cozinha, nesse mesmo período, teve um reajuste de 25,9%; a gasolina comum subiu 24,4%; o etanol 20,9%; e o óleo diesel 14,2%.
Saiba mais: http://bit.ly/2LFLQA7

Com informações de Redação CUT-SP
Deixe seu Recado